Moda e mundo em uma sociedade pós-globalista e pós-liberal

(Ensaio)

Era uma vez o vai e vem do mundo. A interdependência planetária e o globo terrestre como conhecíamos! Não é novidade pra ninguém que o COVID-19 vem derrubando muito dos paradigmas centrais que vinham sustentando o mundo globalizado e capitalista como conhecíamos.

Segundo o filósofo russo Dugin, em um mundo pós-pandemia muitas mudanças vem por ai! Pra começar o filósofo fala de uma mudança ideológica a qual dividirá o mundo em globalistas e pós-globalistas.

A mudança de pensamento deve vir em prol desse sentimento que um mundo (e uma economia) totalmente dependente das diretrizes de outros países e continentes, são extremamente frágeis em momentos globais delicados.


Por isso para Dugin o pensamento pós-globalista (e pós-liberal) deve girar em torno de um olhar extremamente glocal (assim como falamos no podcast “o corona tá na moda”, que aliás tá la no @spotify. Com um pensamento muito mais bairrista, o futuro das nações está em sociedades autônomas e auto-suficientes. (Será? Utópico nós diríamos).

E não é só isso: nessa futura sociedade onde moda e mundo se entrelaçarão (pelo menos assim pensamos) em um sistema pós-liberal, marcas e iniciativas nacionais provavelmente serão uma das bases da autonomia dessas novas sociedades.

Fruto desse sentimento (que já estamos tendo) quanto a uma preocupação bairrista com os pequenos produtores e empreendedores será em suma, algo muito recorrente. Toda essa crise pandêmica pela qual estamos passando nos faz parar de olhar depois de muito tempo, e nos espelhar tanto no mundo lá fora, para olhar para a nação que habitamos, onde essas pequenas produções locais, as quais, sem dúvida alguma, mais sofrem e sofrerão em meio a esse amontoado de dúvidas, poderá vir ser o futuro do que conhecemos hoje.

Mas mais do que levantar novas bandeiras ideológicas e comportamentais ao redor do mundo todo, colapso pandêmico do corona nos traz um compilado de lições ambientais! Com uma diminuição latente da circulação planetária, de enfim, TUDO, estamos vendo nosso Planeta enfim respirar novamente. Na China o céu volta a aparecer azulado, em Veneza as águas voltam a ser cristalinas. E de ambos os lados, a humanidade e o Planeta voltam a ter tempo. O primeiro para repensar seus posicionamentos e sua relação com o mundo, e o segundo, para enfim descansar (pelo menos por hora).



7 visualizações